‍Neste artigo, exploramos a filosofia do Yoga Sutra e como as prescrições do texto podem elevar a sua prática regular de yoga, uma prática contemplativa.

O Yoga Sutra (escreve-se “yoga sūtra” de acordo com as regras internacionais de transliteração do sânscrito) de Patañjali é um texto que serve como guia para a prática do yoga e para o refinamento da consciência. Além disso, o Yoga Sutra foi escrito aproximadamente no século V d.C. e é considerado uma das fontes mais importantes e influentes na história do yoga.

A filosofia do Yoga Sutra

O Yoga Sutra de Patañjali é composto por 196 aforismos, organizados em 4 capítulos, que descrevem o caminho do yoga e os meios para alcançar a iluminação – kaivalya ou mokṣa. Patañjali define yoga como a cessação das flutuações mentais. Acresce que ele acredita que a mente é a fonte de todos os problemas e sofrimentos, e que através do yoga é possível alcançar a paz interior e a libertação do ciclo de nascimento, sofrimento e morte, o saṃsāra.

As oito disciplinas do aṣṭāṅgayoga de Patañjali

De acordo com o Yoga Sutra, existem vários sistemas de yoga. Uma das vias possíveis, conforme prescrito no segundo capítulo do texto, consiste no sistema de oito membros ou disciplinas, também conhecido como aṣṭāṅgayoga (não confundir com o ashtanga yoga postural). Portanto, cada membro representa uma etapa no caminho para o esclarecimento da consciência. Essas oito disciplinas são:

1. A primeira disciplina dos aforismos do yoga: Yama (restrições)

Os yamas são um conjunto de cinco restrições éticas que devemos seguir na vida diária. Assim, eles incluem a não violência, o não roubar, a não possessão, a fidelidade e a verdade. Ao seguir uma vida ética segundo os yamas, podemos cultivar a paz, a harmonia e a bondade.

Ahiṃsā (अहिंसा): não violência

Satya (सत्य): verdade (não mentir)

Asteya (अस्तेय): não roubar

Brahmacarya (ब्रह्मचर्य): fidelidade; castidade

Aparigraha (अपरिग्रहः): não avareza; não possessão

2. A segunda disciplina dos aforismos do yoga: Niyama (observâncias)

Os niyamas são um conjunto de cinco regras que devemos praticar para aprimorar a consciência. Eles incluem a pureza, o contentamento, a disciplina, o estudo e o reconhecimento de uma força superior. Contudo, ao seguir os niyamas podemos desenvolver um relacionamento mais profundo connosco, com os outros e com dimensões que geralmente as pessoas designam por Sagrado.

Śauca (शौच): pureza

Santoṣa (सन्तोष): contentamento

Tapas (तपस्): disciplina

Svādhyāya (स्वाध्याय): autoestudo (do próprio e dos textos)

Īśvarapraṇidhāna (ईश्वरप्रणिधान): contemplação de Īśvara (supremo)

3. A terceira disciplina do yoga sutra: Āsana (postura)

Os āsanas são as posturas físicas que praticamos no yoga. Embora não refira o nome de nenhuma postura em particular, Patañjali nos aforismos do yoga acredita que através da prática correta do āsana nós podemos melhorar a estabilidade corporal e preparar a mente para a meditação. Além disso, os āsanas também nos ajudam a desenvolver uma maior consciência corporal e a equilibrar a “energia” dentro do nosso ser. Contudo, o texto não prescreve nenhuma sequência de posturas pois no método aṣṭāṅgayoga é suficiente praticar uma única postura durante um longo período de tempo.

4. A quarta disciplina dos aforismos do yoga: Prāṇāyāma (controlo da respiração)

O prāṇāyāma é a prática do controlo voluntário da respiração. Portanto, Patañjali defende que através da respiração é possível controlar a energia vital – prāṇa – dentro do nosso corpo. Isso ajuda a acalmar a mente, a equilibrar as emoções, a aumentar a vitalidade e a clareza mental.

5. A quinta disciplina: Pratyāhāra (abstração dos sentidos)

O pratyāhāra consiste numa prática de recolhimento dos sentidos externos para depois direcionar a atenção para o mundo interior ou mental. Acresce que Patañjali acredita que através do pratyāhāra, nós podemos alavancar o desapego em relação a desejos e distrações externas e desenvolver maior concentração e atenção plena ao conteúdo mental.

6. A sexta disciplina: Dhāraṇā (concentração)

Dhāraṇā é a prática de concentrar a mente em um único ponto, seja através da repetição de um mantra, da visualização de uma imagem ou da concentração na respiração ou em outro objeto. Todavia, o Yoga Sutra de Patañjali acredita que através do dhāraṇā, podemos desenvolver uma mente estável e focada, preparando-nos para a meditação.

7. A sétima disciplina: Dhyāna (meditação)

Dhyāna significa a prática da meditação, que envolve sobretudo a continuidade da concentração e a absorção completa na experiência da presença. Patañjali acredita que através do Dhyāna, podemos transcender a dualidade do pensamento e experimentar a unidade entre o corpo-mente e o macrocosmo.

8. A oitava disciplina: Samādhi (absorção)

O samādhi é um patamar com vários estágios, no qual a mente se funde com o objeto de meditação e todas as dualidades desaparecem. Além disso, Patañjali refere que através do samādhi, podemos experimentar a verdadeira natureza do nosso ser e alcançar uma visão mais profunda sobre a natureza do tempo, do espaço e do sofrimento.

O Yoga Sutra na prática diária

Portanto, para aplicar os aforismos do yoga na sua prática diária, é importante incorporar os ensinamentos de Patañjali em todas as áreas da vida. Pratique os Yamas e os Niyamas nas suas interações com os outros, encontre tempo para praticar o āsana e o prāṇāyāma regularmente, e cultive a concentração mental e a meditação no seu dia a dia. O caminho do yoga é uma jornada contínua, que pode começar com aulas semanais de yoga e meditação. Além disso, seja paciente e compassivo consigo mesmo à medida que avança em direção à descoberta da consciência e da espiritualidade, inata em todos os seres humanos.

Recursos recomendados para um estudo mais aprofundado do Yoga Sutra

Se pretende aprofundar o estudo dos 4 capítulos do Yoga Sutra de Patañjali, aqui estão alguns recursos recomendados:

  • The Yoga Sūtras of Patañjali, Edwin Bryant.
  • The Yoga-Sūtra of Patañjali: A New Translation and Commentary, Georg Feuerstein.
  • Yoga- Sūtras of Patañjali with the Exposition of Vyasa, Swami Veda Bharati.

Estes livros oferecem uma visão mais abrangente do Yoga Sutra e fornecem perspetivas valiosas sobre como aplicar os ensinamentos na sua prática pessoal de yoga.

Conclusão dos aforismos do yoga

O Yoga Sutra de Patañjali é um guia importante para elevar a sua prática de yoga, procurar o autoconhecimento e transcender o sofrimento. Ao seguir os oito membros do yoga descritos por Patañjali, você poderá cultivar uma vida com mais paz, equilíbrio e conexão com a Natureza e com o Cosmo. Lembre-se de que o caminho do yoga é uma jornada pessoal, pelo que deverá encontrar as práticas que ressoam consigo e continuar a aprofundar o estudo e a prática. Que o Yoga Sutra seja uma fonte de inspiração e orientação na sua jornada rumo à liberdade e paz interior.

Namaste.