Home > Como escolher estúdio de yoga ou instrutor

Como escolher estúdio de yoga ou instrutor

Como Escolher Estúdio de Yoga - Tabela de Conteúdos

A escolha do estúdio ou do instrutor

Existem muitos tipos de yoga (karma, bhakti, haṭha, jñāna, rāja) e é bom entender as diferenças.. Acima de tudo, é possível efetuar uma aula inteira de yoga sem sair da cadeira, por exemplo praticando respirações ou mantras. O yoga é uma filosofia de vida e na sua prática podem existir atividades para o corpo, que nos proporcionam flexibilidade, equilíbrio, manutenção da saúde e gestão da doença. O yoga é um caminho essencialmente prático que nos conduz a um estado refinado de consciência. Escolha um bom profissional de yoga e descubra os melhores cursos de yoga em Portugal.

O estúdio ou instrutor de yoga

Os praticantes devem pesquisar o perfil público do instrutor. No entanto, é uma pesquisa que pode demorar algum tempo pois existem muitas escolas e instrutores de yoga para diferentes tipos de yoga. Primeiro decida qual o tipo de yoga mais indicado para si e depois peça para participar numa aula experimental (normalmente a primeira aula é grátis). Fale com o instrutor ou instrutora e pergunte-lhe onde efetuou o curso de yoga (nos dias de hoje ser formado na Índia não significa necessariamente que a formação seja melhor. Há boas escolas na Europa e nos Estados Unidos). Ainda que algumas pessoas julguem que não, a formação académica do instrutor também é importante na altura da explicação dos conceitos. Uma coisa é saber praticar e outra é saber ensinar. Além disso, existem alguns instrutores que se dedicam à investigação académica sobre yoga.

Experimente as aulas no estúdio de yoga

Experimente aulas com pelo menos 3 a 4 profissionais de yoga diferentes, preferencialmente de diversas escolas. Além disso, fuja dos fundamentalistas e daqueles que lhe dizem ensinar o melhor yoga, pois isso não existe! Igualmente não se deixe impressionar se o instrutor pertence a esta ou aquela escola, a esta ou aquela associação. Isso é conversa, o que interessa é a prática. Um bom instrutor não deve ser a “estrela da aula”. Todos são iguais, sendo diferentes!

Observar o yoga é fundamental

Observe o tom de voz no Estúdio ou Instrutor de yoga no decorrer da aula, peça opinião aos colegas no final da aula. Semelhantemente, o profissional de yoga não deve ser um “fala barato” nem um animador cultural, mas também não deve “entrar mudo e sair calado”. Eventualmente suspeite de possíveis fanatismos quando lhe impingirem logo na primeira aula determinadas regras, do género “o seu instrutor é o seu mestre espiritual”, “aqui ensinamos o yoga primordial” ou “aqui seguimos a linhagem tal e tal que é a original”, “você tem de ser vegetariano”.

Atributos dos profissionais de yoga

Ocasionalmente isto é conversa para principiantes, no intuito de captar novos alunos. Todavia, um bom instrutor não tem medo da concorrência pois sabe que são os alunos que o escolhem e não ele(a) a escolher os alunos. Seriedade, honestidade, prática constante e deontologia (dever ser) devem ser atributos de um bom instrutor. Como em tudo, a experiência pessoal e o número de anos de prática são muito importantes. Pergunte se ele ou ela faz formação habitualmente. Como em todas as profissões reciclar conhecimentos é crucial. Um curso de yoga efetuado há 4 ou 5 anos atrás pode não ser suficiente.

Do mesmo modo, um licenciado pode não perceber nada de meditação ou de mantras. Não existem habilitações académicas específicas para escola ou instrutor de yoga. O que conta é o domínio das técnicas ensinadas, o saber explicar e o saber corrigir, a formação efetuada.

Aulas de yoga online e em Lisboa com Paulo Hayes

O estúdio de yoga e o instrutor não sabem tudo

A princípio os instrutores inexperientes ou com formação inadequada limitam-se a ensinar āsana e prāṇāyāma, porque pouco mais sabem
0
Será que é sempre assim? x
. Todavia, os noviços optam em função do preço. Nada de mais errado! Os melhores profissionais de yoga costumam cobrar mais caro, pois já investiram mais na sua formação pessoal, efetuam retiros periódicos e viajam frequentemente para praticar yoga em diversos locais. Além disso, lembre-se de que a função de um instrutor é ensinar, e não praticar alegremente ao mesmo tempo que os alunos. Quem os irá corrigir? No início faça perguntas difíceis, seja exigente. Um bom instrutor de yoga não tem de pretender saber tudo sobre yoga.  Um bom profissional deve ser simples e humilde, falar numa linguagem clara e acessível a todos.

Aulas com misturas nos estúdios de yoga

Um profissional de yoga competente não mistura outras técnicas às aulas de yoga. Inserir reiki, chi-kung, tai-chi, com o devido respeito por estas e outras práticas, nas aulas de yoga é sinal de que não se leva a sério o yoga. Um bom profissional de yoga ensina exclusivamente… yoga. Existem também bons profissionais destas práticas ancestrais. Evite sincretismos e misturas, se é yoga que realmente quer aprender. Além disso convém saber a diferença: yoga versus  yogaterapia.

O local de prática: o estúdio e o  instrutor de yoga

Luz, cheiros, aspeto geral, acessibilidades, horários existentes, insetos, temperatura, material disponível como tapetes e almofadas, incluindo biblioteca para consulta dos alunos são fatores preponderantes na escolha do local. Comece por verificar se o chão é adequado à prática. Ainda que utilize tapetes de yoga, há tipos de pavimento que são inadequados á prática, por serem escorregadios ou frios ou inestéticos. Imagine um chão de tijoleira vermelho escuro ou que no relaxamento a luz lhe bate diretamente nos olhos. Desse modo, como se sentiria nesse ambiente? Também não é pelo facto de haver incenso a queimar e imagens penduradas na parede que a “energia” do local é mais pura. Tenha atenção ao local do profissional de yoga.

Resultados das aulas de yoga

Com a prática de yoga algo vai mudar na sua vida, para melhor. Acontece, enfim, existirem lesões, mas esta é uma situação excecional, especialmente se o instrutor for bom pedagogo e se o aluno seguir corretamente as instruções. Ainda assim, alguns praticantes ou instrutores têm tendência para forçar. Isto é errado. Nas escrituras do yoga clássico diz-se que o āsana é uma postura firme e confortável pelo que o praticante deve reduzir o esforço necessário na permanência. Se o praticante efetuar uma prática regular (2 a 3 vezes por semana) ao fim de alguns meses vai sentir uma alteração substancial na sua flexibilidade, condição física, paz mental e equilíbrio das emoções. Se não conseguir isto opte por praticar todos os dias para os resultados serem mais rápidos. Como em tudo na vida, quanto mais prática mais domínio sobre o facto ou a situação.

Escreva os objetivos a alcançar no estúdio ou com a instrutora de yoga

Ao fim de 6 a 12 meses observe se está mais perto de os alcançar. Encontre objetivos credíveis e realizáveis, motive-se para as práticas. O entusiasmo é importante. Não imagine algo como “curar-me em 6 meses”, “tornar-me zen em 12 meses”, “fazer o pino em 4 meses”. Lembre-se, sobretudo, que tudo o que tenha em mente é possível, mas depende exclusivamente de si e da dedicação à prática. Nada de valor é obtido sem um esforço pessoal. Além disso, não desista só porque “aparentemente” nada mudou. Pergunte a um familiar ou amigo(a) se o acha diferente. Ao mesmo tempo temos dificuldades em efetuar uma autoanálise séria sem exagerar. O caminho do yoga é um caminho de persistência e dedicação e cada praticante sente a realidade de forma variada.

Como escolher o estúdio e o instrutor de yoga para a formação profissional

Considera a possibilidade de se tornar instrutor(a) de yoga? Antes de escolher uma escola ou Instrutor de yoga para efetuar a sua formação deverá observar vários aspetos e regras importantes, tais como:

A organização – verifique se a academia, escola ou associação são legais, registadas, qual o objetivo social, há quanto tempo estão no mercado e em que local funciona. Visite as instalações antes de efetuar a inscrição e peça para falar com os responsáveis. Nas melhores escolas de formação os formandos efetuam um estágio prático, durante ou após o curso. Aliás, não é assim com os médicos ou com os advogados, e com outras profissões?

Instalações e conteúdos dos cursos nos estúdios de yoga

veja se o local é apropriado para um ambiente de formação ou se é uma cave sem luz natural, com cheiros e com barulhos frequentes. O critério aqui é o seu gosto pessoal e o bom senso. Peça um sumário das matérias que vai estudar e o programa curricular do curso. Além disso, estranhe quando lhe ensinam muita coisa em pouco tempo, como por exemplo, muitas tipologias na história do yoga, pois vai acabar por não aprender nada tal é a superficialidade das matérias ensinadas. Afinal, é melhor aprender pouco e alcançar o domínio das técnicas do que saber muito “no papel” ou nunca ter praticado o que aprendeu.  O critério internacional na formação profissional de yoga é de 200 e de 500 horas, sendo as 200 o mínimo para ser profissional de yoga reconhecido.

Número de instrutores de yoga

Evite participar em cursos de instrutores de yoga onde existe apenas um formador. Por muito bom que seja o instrutor ou instrutora não é possível deter um domínio total das disciplinas que podem compor um curso. Cada formador deve ensinar as suas disciplinas de especialidade. Faz sentido? Peça informações sobre as suas experiências e quem são os formadores. Verifique se têm licença válida de formador (CCP) ou se são instrutores com formação válida.

Acharya

O diretor(a) do curso deve ser um yoga acharya (mestre em yoga). Afinal, um mestre em yoga aprendeu e recebeu iniciação de outro mestre de yoga (tradição guru paramparā) pois assim é o ensino no yoga. Um mestre de yoga domina as técnicas que ensina (nível técnico) e não se forma em poucos anos. Solicite uma cópia dessa certificação.

Número de alunos a frequentar o curso – ainda assim, peça uma listagem ou pergunte quantos alunos já frequentaram ou frequentam presentemente o curso onde pretende a inscrição. Aliás, se a turma tem só 3 ou 4 alunos considere aguardar mais um pouco antes de se inscrever.

Inscrição e certificação | estúdios de yoga

Forma de inscrição e preço Questione o processo de inscrição, nunca fique com dúvidas. Como nas universidades é possível pedirem-lhe um pagamento adiantado de algumas mensalidades. Geralmente existem descontos para pagamentos integrais. Compare o preço praticado com a credibilidade da instituição e a qualidade do curso.

Certificação – Atualmente não existe regulamentação do yoga em Portugal.Lembre-se que a DGERT não existe na Índia nem em outros países e trata-se de uma certificação procedimental. Você não encontrará trabalho primeiro nem é certo que é um curso bom. No entanto, recomendamos que escolha um curso certificado pela DGERT, pois será esta instituição a responsável pela certificação em Portugal. Além disso, o certificado DGERT é fundamental para ensinar na Administração Pública.

capa curso de yoga em Lisboa do IPYM

Pontos importantes para escolher um estúdio de yoga ou Instrutora

Este texto é para praticantes que consideram a possibilidade de se tornarem instrutor ou profissional de yoga. Ler este documento ajuda a entender como são as práticas de um curso e o que se pode esperar enquanto profissional de yoga.

Porque não posso apenas efetuar muitas aulas e depois começar logo a ensinar yoga?

A verdade é que praticar e ensinar yoga são duas coisas muito diferentes. Se não efetuares uma formação de yoga não estás apto a liderar uma aula de forma segura e eficiente. Até podes ter muita flexibilidade e ser muito simpático(a), mas isso não é o mais importante. A tua capacidade deontológica e pedagógica é fraca neste caso.Porque não peço ao meu instrutor ou estúdio de yoga que me dê aulas particulares?

Os formadores são instrutores experientes

Os formadores de instrutores de yoga são eles próprios instrutores que já ensinaram, no mínimo, 1000 aulas e efetuaram mais de 1000 horas de formação. São praticantes há pelo menos 15 anos. Para além de estarem habilitados legalmente a serem formadores a maior parte deles é achárya (mestre em yoga – grau técnico). O seu instrutor até pode ter estas qualificações, mas é mais provável que não as tenha. Ensinar yoga pode parecer fácil e divertido, mas para o fazer bem é necessária formação técnica, pedagógica e deontológica adequada.

Inclusive conhecemos Estúdios e Instrutores de yoga  que ensinam massagens nas formações, o que é impensável. Cursos curtos ou workshops são ótimos para aprofundar ou ganhar contacto com algum aspeto prático do yoga. No entanto, 200 horas é o critério internacional aceite para formar um instrutor de yoga e um curso desta intensidade demora pelo menos 20 dias. No entanto, existem cursos que duram 4 até 10 anos onde você está a gastar tempo e os seus recursos.

E depois do curso de yoga?

E depois do curso alguém me ajuda a procurar trabalho? Uma boa forma de avaliar uma escola ou profissional de yoga é perguntar aos responsáveis quantos graduados efetivamente se tornaram instrutores, e falar com os instrutores. Ficarás surpreendido em saber que este número é baixo! Num bom curso, cerca de metade dos graduados continuará a ensinar. A outra metade geralmente não está interessada em ensinar (têm os seus empregos que lhes ocupa o tempo) e querem apenas aprender mais sobre o yoga para si próprios. Uma boa escola de yoga geralmente ajuda os graduados a encontrar trabalho. As novas oportunidades geralmente são divulgadas por telefone, email ou redes sociais. Por vezes os novos instrutores começam por dar aulas remuneradas na escola onde estudaram.

Consigo efetuar algumas posturas, mas outras são realmente difíceis para mim. Posso ensinar no estúdio de yoga?

Se observares a prática dos 10 mais famosos instrutores de yoga do mundo ficarás surpreendido em saber que a sua prática está longe da perfeição. Ensinar yoga não é efetuar perfeitamente os āsana avançados. Mais importante, você deve ser comprometido e sincero com a sua prática. Há tantos cursos nos dias de hoje… como escolher um profissional de yoga? Primeiro decide que tipo de yoga queres ensinar. Existem muitos estilos diferentes. Depois escolhe um curso dirigido por instrutores experientes e reconhecidos. Finalmente, escolhe um curso que te motive. Tu queres que seja uma experiência divertida e proveitosa, geralmente intensa e transformadora.

É possível reprovar?

Algumas escolas de yoga basicamente “vendem” certificados. Se pagaste a formação então estás graduado. Excelentes formações por vezes reprovam alunos. Isto acontece não porque sejam maus, mas para assegurar qualidade. Geralmente são excluídos estudantes que quebrem as regras (faltam às aulas, não fazem trabalhos pedidos, recusam-se em participar). Alunos que adoram o yoga e esforçam-se 100% muito provavelmente atingem a graduação.

Quanto custa um curso de instrutores de yoga?

O custo das formações nos Estúdios para instrutor de yoga pode variar, mas normalmente em cursos de grande qualidade os valores são muito semelhantes; 200 horas custam cerca de 2.000€ e em cursos não residenciais (em regime de fins de semana) de 1.000 horas, entre os 4.000€ e os 5.000€.  É possível encontrar cursos muito baratos, mas geralmente são uma perca de tempo e dinheiro. Um bom curso é um investimento no teu futuro e paga-se a ele próprio rapidamente. As pessoas que participam em cursos baratos geralmente acabam por efetuar formações adicionais pois não estão realmente prontas a ensinar yoga. Um curso caro não significa também que seja um bom curso. Verifica se as infra-estruturas envolventes estão também de acordo com o teu gosto pessoal.  Escolher uma escola ou Instrutor de yoga envolve alguma pesquisa.

Quanto ganha um estúdio e um instrutor de yoga?

Sobre as escolas é impossível saber. A remuneração do profissional de yoga depende do local onde ensina, do número de alunos, do nível de experiência, de quantas aulas ministra. Geralmente, para instrutores com pouca experiência o valor por hora varia entre 10€ e 20€, por aula. Se o proprietário do espaço investiu em boas infra-estruturas e publicidade o valor que recebes é próximo do limite inferior. Instrutores experientes podem auferir 2 a 3 vezes mais este valor. Há quem opte por um sistema de repartição de valores, 70% para o instrutor e 30% para o espaço, ou progressivo mediante o número de participantes das aulas. Para muitas pessoas, ensinar yoga não é uma forma de enriquecer, mas uma excelente possibilidade de rendimentos complementares, ter um horário flexível, e receber um salário de full-time por um trabalho de part-time.

0 0 Votos
Pontuação do Artigo
Subscrever
Receber notificações

0 Comentários
Opiniões no texto
Ver todos os comentários
0
Quero escrever comentáriox
Scroll to Top